Policia

Agricultora é flagrada ateando fogo em vegetação às margens do rio Paraguai

Região pantaneira já sofreu com cerca de 3.800 foco de incêndio

Mulher foi flagrada no momento em que iria colocar fogo. Imagem: Divulgação Mulher foi flagrada no momento em que iria colocar fogo. Imagem: Divulgação

Com cerca de 800 registros de focos de incêndio somente em Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande, e a situação critica com as queimadas no Pantanal, uma agricultora foi multada em R$ 5 mil após ser flagrada colocando fogo nas proximidades do rio Paraguai, em pastagem nativa e lavoura.

O flagrante ocorreu na região do Porto Geral, em Corumbá, quando a PMA (Polícia Militar Ambiental) fazia rondas na noite de sexta-feira (24). A mulher queimava uma área pertencente a ela, com o objetivo de renovar sua pastagem. Ela tentou apagar o fogo ao ver a viatura.

“Em um período de seca desse, é um risco muito grande de vir um vento e o fogo perder o controle. Um prejuízo para todos”, salientou o coronel da PMA, Ednilson Paulino Queiroz.

A equipe da PMA ajudou na extinção do incêndio e a agricultora, moradora de Corumbá, foi autuada administrativamente e multada em R$ 5 mil.

De acordo com levantamento realizado pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), Corumbá é a cidade com maior número de focos de incêndio no país. Foram mais de 800 registros em menos de um mês.

Ao todo, a região pantaneira já sofreu com cerca de 3.800 foco de incêndio. A área queimada estimada pelo Ibama e o Prevfogo já ultrapassa 300 mil hectares, somente em Corumbá. O Governo de Mato Grosso do Sul chegou a declarar estado de emergência devido a grave situação.

Comentários